Histórico

_____________________________________________________________________________

EDUCAÇÃO E PESQUISA
antiga REVISTA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO


A tradicional Revista da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, atualmente denominada EDUCAÇÃO E PESQUISA, foi instituída em 1975 e a sua história sempre esteve vinculada à instituição universitária que a mantém. O periódico foi concebido, cinco anos após a fundação da faculdade, como “órgão destinado à divulgação dos estudos e investigações desta unidade universitária”, conforme afirmou o professor José Querino Ribeiro na apresentação do primeiro número. Era, portanto, um veículo destinado prioritariamente à produção científica dos professores e pós-graduandos e com esse espírito funcionou por muitos anos.

Analisando os artigos publicados, é possível perceber que a partir de 1996 ela iniciou uma inflexão ao incluir artigos produzidos fora da Faculdade de Educação (FEUSP), com crescente participação de autores estrangeiros. Desde então, a revista acentuou seu caráter aberto, para divulgar a produção científica na área educacional em geral, sem restringir-se a temáticas específicas, nem à filiação institucional dos autores, coerente ao papel de ponta da própria FEUSP no contexto da pesquisa científica. A diversidade também foi expressa na composição do seu Conselho Editorial, que passou a contar com pesquisadores de outras instituições nacionais e internacionais, ao lado de professores da própria faculdade.

Em 1999, a Comissão de Publicações da FEUSP, na qual se incluía a editoria da revista, analisou a trajetória percorrida até então e propôs uma guinada, que significasse a modernização e a ruptura definitiva com o caráter local, voltada para si mesma, com a qual a revista havia sido fundada. Seu projeto editorial foi atualizado tendo como referência os padrões vigentes para as publicações científicas internacionais. Ela passou a ser divulgada também em versão eletrônica e incluída na biblioteca SciELO, com acesso aberto ao público. Isso ampliou significativamente a difusão das edições, bem como o intercâmbio com pesquisadores nacionais e estrangeiros, e permitiu a sua indexação nas principais bases de dados, tornando a nova EDUCAÇÃO E PESQUISA uma das principais revistas do campo educacional brasileiro.

Após a reforma ficou mantida a periodicidade semestral, porém em 2004 ela passou para quadrimestral e em 2010 para trimestral, de forma a dar vazão ao número crescente de artigos submetido à avaliação. A revista seguiu padrões rigorosos de editoração. Pelo menos 75% de cada fascículo foram destinados à divulgação de artigos científicos inéditos, submetidos à arbitragem por pares, que abrangem o espectro de temáticas ligadas à Educação e representam efetiva contribuição ao avanço do conhecimento na área. As contribuições podem conter resultados de pesquisa de caráter empírico e/ou teórico ou revisões críticas da literatura científica. A Comissão Editorial tem organizado demandas dirigidas e dossiês sobre temas candentes da pesquisa e da prática educacionais, estimulando estudiosos de diversas inserções a apresentarem suas visões sobre o assunto. A fim de fomentar o debate franco e sistemático sobre a produção científica a revista publica traduções de artigos estrangeiros, já divulgados no exterior, e realiza entrevistas com educadores destacados.

Ao longo dos anos, nossas publicações periódicas têm sido sustentadas financeiramente por recursos recebidos do CNPq/CAPES e do SiBi-USP, além da venda de assinaturas. Não menos importante é o compromisso da FEUSP e da Fundação de Apoio à Faculdade de Educação (FAFE) na sua sustentação. A par dos recursos financeiros, a gestão é feita pela dedicação de grupos de professores que despendem parte substantiva do seu tempo de trabalho ao planejamento e à edição dos volumes. Contam para isso também com o trabalho de funcionários comprometidos com os objetivos acadêmicos.

Hoje a penetração de EDUCAÇÃO E PESQUISA pode ser constatada pelo número de artigos submetidos à avaliação: perto de 380 por ano. Eles são recebidos através da plataforma OJS da SciELO, o que oferece aos autores maior segurança, transparência e agilidade no processo de análise. Mais de 500 revisores ad hoc, vinculados a múltiplas instituições de pesquisas, têm colaborado regularmente na seleção dessas contribuições por ano. Nosso cadastro de avaliadores conta com cerca de 1.500 nomes de pesquisadores. Em cada volume anual, mais de 50 artigos inéditos tem sido publicados, editados em cerca de 1000 páginas. O número médio de acessos aos artigos online ultrapassa os 45.000 mensais. Os sucessivos relatórios Qualis/CAPES sempre a posicionaram entre os periódicos de qualidade A1, a mais elevada.

Editores responsáveis:

  • 1975-1979 – Prof. João Eduardo Villalobos
  •          1980 – Prof. Ruy Afonso da Costa Nunes
  • 1981-1983 – Prof. Nicolas Boér
  • 1984-1989 – Prof. João Teodoro d’Olim Marote
  • 1990-1994 – Prof. Nilson José Machado
  • 1994-1996 – Profa. Selma Garrido Pimenta
  • 1996-1998 – Prof. Afrânio Mendes Catani
  • 1999-2004 – Profa. Belmira Oliveira Bueno
  • 2004-2006 – Profa. Marilia Pinto de Carvalho
  • 2007-2009 – Profa. Lucia Emilia Nuevo Bruno
  • 2009-2011 – Profa. Lucia Emilia Nuevo Bruno e Profa. Teresa Cristina Rego
  • 2011-2013 – Profa. Teresa Cristina Rego e Profa. Denise Trento de Souza
  • 2013-2015 – Profa. Teresa Cristina Rego e Profa. Denise Trento de Souza
  • 2015-2016 – Profa. Denise Trento de Souza e Profa Cláudia Pereira Vianna
  • 2016-2017 – Profa Cláudia Pereira Vianna e Profa Rosângela Gavioli Prieto
  • 2017-2018 – Profa Rosângela Gavioli Prieto e Prof. Émerson de Pietri

______________________________________________________________________